Trilhos Serranos

O TER E O SER

Em 2017 a RTP1 tranmitiu o DOCUMENTÁRIO com o título HUMANOS. Fiz um apontamento escito que publiquei neste espaço, mas, por razões que me são alheias, não pude localizá-lo na linha de “pesquisa”.

Porém  como também o alojei no meu mural do  FACEBOOK, fui lá repescá-lo novamente hoje para aqui e daqui poder remeter todos os que me seguem com um cibo de HUMANIDADE dentro de si para os retalhos alojados no YOUTUBE.

OLIMPÍADAS

Mitos, lendas, heróis

Louros, tudo coisa antiga

Vinda de outros sóis,

Outras terras e gentes.

A GRALHA (2)

Em 18 de Janeiro deste ano (2013)  prantei neste meu "estado" o texto com título "A GRALHA". Não resisto a repescá-lo novamente para aqui, por me parecer que "gralha" já não é escrever ERROBOGÁBEL em vez de IRREVOGÁVEL. Isto porque se as palavras viraram "parolas" sem sentido, construindo-se com elas argumentos e textos sem nexo, também podem perder a ortografia, com ou sem acordo ortográfico.

ARTES E LETRAS - MAQUETE DO LICEU

É a fotografia que hoje publico e extraí do EMBRULHO de papéis velhos que os amigos já conhecem. E papéis velhos que me entrem porta dentro é garantido que são vistos e lidos. Diz respeito à maquete do LICEU SALAZAR em Lourenço Marques. Era o ano de 1952.

MELHORAMENTOS LOCAIS

Como adenda ao que já publiquei no meu livro “IMPLANTAÇÃO DA REPÚBLICA EM CASTRO DAIRE - I”, editado pelo Município, em 2010 (feito “pro bono) e também às crónicas e vídeos que publiquei sobre a FONTE DA LAVANDEIRA, e, bem assim, ao texto que publiquei no meu site «trilhos serranos», em 2016, sobre o MONOGRAMA   - CM” - da FONTE DOS PEIXES, e, ainda, aos “acrescentos” que, neste ano de 2021, achei oportuno fazer sobre tudo o que havia publicado, relativo à localização primitiva da FONTE que viria a ser batizada com esse nome, com certidão de idade datada em 1921 (que abordarei mais abaixo, para os mais desatentos ou descuidados), aqui deixo hoje mais alguns apontamentos, que são o produto das investigações que tenho vindo a fazer sobre a HISTÓRIA LOCAL, ligados, exatamente, ao precioso líquido que parece nem todos avaliarem e salvaguardarem, como demonstra o desmazelo em que está votada a FONTE DA LAVANDEIRA e falta de SINALIZAÇÃO.

Afinal, qual foi o EXECUTIVO MUNICIPAL que lhe deu acesso pelo antigo caminho que levava aos BRAÇOS e a todo o VALE DO PAIVA? Terá, essa FONTE, tão pouca importância a ponto de nem sequer entrarem no «rol» das obras realizadas durante a sua vigência, como se vê no atual folheto de PROPAGANDA POLÍTICA do PARTIDO SOCIALISTA, destinado à «caça de votos» no próximo ato eleitoral? O acesso a essa FONTE  e o RESTAURO do PRELO (1855)  feito em 2014, peça única na parafernália dos equipamentos arqueológicos que restaram por aqui como artefactos ligados à comunicação e CONHECIMENTO?

Por estas lacunas se avalia bem a BITOLA pela qual se guiam as nossas FORÇAS PARTIDÁRIAS LOCAIS, para as quais parecem só ter valor as «estradas, fontanários e valetas», como no princípio do século XX. Lamenta-se, pois que neste século XXI, século do CONHECIMENTO e das novas tecnologias,  elas se ficam pelo utilitário e pelo  ENTRETENIMENTO.