Trilhos Serranos

OS AMIGOS DA ONÇA

Como professor que fui, nunca me cansei de puxar pela imaginação e criatidade dos meus alunos. E tive algumas surpresas nesses meus “impertinentes” incentivos.

Entre outras coisas, de ordem metodológica e didática, eu exigia que eles, no caderno escolar, fizessem um resumo da matéria dada na aula e, para ajudá-los, dava o exemplo com um esquema previamente elaborado por mim.

OS AMIGOS DA ONÇA

Não estou a falar daqueles que correm atrás dos sobejos - ditas sobras - e, à má fila, por cunhas e influências, procuram passar a perna aos que, de boa fé e crentes nas instituições de saúde e seus agentes, não deslizam sobre tais carris e, civicamente, se deixam ficar à espera da sua vez.

Foi o que aconteceu comigo, confiado que estava na informação dada pelo SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE  veiculada pelos órgãos de comunicação social. E foi isso mesmo que aconteceu.

 

CASTRO DAIRE - COMÉRCIO TRADICIONAL NA VILA - 1

Refiro-me às lojas comerciais sitas na vila de Castro Daire que vêm de tempos idos e cujos comerciantes, autênticos heróis que, neste tempo de globalização, resistem à lógica comercial das «grandes superfícies», continuam a manter com os seus clientes uma relação de afecto e de atendimento personalizado.

RECEITUÁRIO ELETRÓNICO

Em 14 de janeiro de 2017, alojei no meu site «TRILHOS-SERRANOS.PT» um texto relativo ao Dr. Sertório Dias, que para aqui respigo hoje mesmo, assim:

PANDEMIA

JOAQUIM ROCHA passou grande parte da sua vida como motorista de autocarros de turismo, profissão que o levou a correr todas as estradas da Europa, a conhecer nações e pessoas das mais diversas linguas e  culturas e, cidadão ilteligente e atento que era às diferenças verivicadas entre pessoas e povos, a mundividência adquirida nesse seu vai-e-vem foi um contributo assinalável para a maneira de ser humana e sociável como o conheci.

Chegou a comprar um apartamento na Espanha  para dar descanso ao corpo depois de tanto quilómetro andado. Não eram as estradas que hoje ligam a Europa toda. Não foi vida fácil. E depois de se reformar não foi romper os fundilhos das calças para os bancos de jardins públicos a jogar a bisca lambida. Agarrou-se à enxada e, num pedaço de terreno emprestado, próximo do seu apartamento, em Santo António dos Cavaleiros, cultivava as hortaliças e mais produtos da terra que no lar se consumiam. Uma vida ativa em jovem e em adulto e uma vida ativa no envelhecimento.