Trilhos Serranos

Está em... Início Poesia OS SEIOS
segunda, 11 junho 2018 14:01

OS SEIOS

Escrito por 
OS SEIOS

Aos olhos do poeta o seios são sempre belos.

 

 Seios-RedzEstou em terra quente. Terra tropical, onde se mistura gente local e gente de outros paradeiros. A civilização europeia (alguns dizem-se pioneiros)  está longe, no comer e no vestir. Lá, no mato, fora da cidade, observo, vejo e sinto. As gentes da terra vestem e falam a seu jeito, não importa a idade de «mufana» e «cocuana». Elas, as mulheres, as mulheres que vejo e beijo, mostram livremente, sem manto, nem blusa, o peito de ébano, ora espetados, apetitosos, belos (à luz obtusa de certa moral pecaminosos), ora flácidos, descaídos, quase a chegar ao chão. Ou, então, atirados para trás das costas por cima do ombro, pois tal faz a «mamana», para alimentar o «mufana» suspenso na capulana colorida e garrida como a vida.seios-2 - Redz

Mas, para mim, que a todos esses seios vejo e alguns beijo, tão amorosos são uns como os outros. Aqueles, de apetitosos que são, enchem-me a mão e neles me consolo. Fazem de mim criança de colo, menino mamão. Estes, caídos assim, quase secos, rugosos, como casca de cajueiro, não me enchem a boca, nem a mão, mas enchem-me o coração por inteiro. Já não são para mim, objeto de cobiça, mas fixando-os assim, a minha sensibilidade de poeta se atiça. E atento ao seu estado, perdida a juventude e o cio da glória que tiveram, sobreponho-lhe a lupa do carinho, do afeto, da admiração e, sem beijo meu, vejo em todos eles o caminho andado, vejo a terra e o céu, vejo séculos de história, o mundo inteiro, o tempo que vai, o tempo que vem, enfim, os pergaminhos da humanidade de que é guardiã somente a mulher, somente a mãe, somente a mamã.

Abílio/Tete/1964

 

Ler 83 vezes
Abílio Pereira de Carvalho

Abílio Pereira de Carvalho nasceu a 10 de Junho de 1939 na freguesia de S. Joaninho (povoação de Cujó que se tornou freguesia independente em 1949), concelho de Castro Daire, distrito de Viseu. Aos 20 anos de idade embarcou para Moçambique, donde regressou em 1976. Ler mais.