Trilhos Serranos

Está em... Início Crónicas DECISÃO MUNICIPAL REVERTIDA
domingo, 02 abril 2017 10:13

DECISÃO MUNICIPAL REVERTIDA

Escrito por 

DECISÃO MUNICIPAL REVERTIDA

No dia 13 de março do corrente ano, pelas 14.30 h, depois de saber que, por decisão do Executivo Municipal, sugerida pelo Padre Caria (com quem falei pessoalmente) que a escola "CONDE FERREIRA, 1866" (a primeira escola primária na sede do concelho) iria ser convertida em CASA VELÓRIO, publiquei no meu site (com porta aberta no Facebook) uma crónica que incluía dois vídeos sobre acessos pedonais àquele espaço histórico (alojados no Youtube em 2012, a expensas minhas, pois sendo munícipe, não tenho qualquer avença com o Município), mostrando e fundamentando a minha frontal oposição a tal medida.

Escola Conde FerreiraNo dia 18 seguinte, pelas 14.48 h, voltei ao assunto, ilustrando a crónica com uma fotografia do Jardim Público e do INVIABILIZADO acesso que dele se podia e devia ter feito até à CAPELA DO CALVÁRIO, v.g. o prolongamento do ESCADÓRIO DAS CARRANCAS, tornado impossível por opções erradas do EXECUTIVOS MUNICIPAIS. 

No dia 19, pelas 15.35 h, retomei o tema e disposto estava a não o largar até que o EXECUTIVO MUNICIPAL, a coberto do poder que lhe é conferido pelo voto, levasse a cabo mais uma AFRONTA ao nosso PATRIMÓNIO HISTÓRICO CONSTRUÍDO

Em 2015 publiquei a HISTÓRIA DAQUELA ESCOLA, falei do CONDE FERREIRA e transcrevi a cláusula testamentária em que ele decidiu mandar fazer 120 escolas em todo o país, nas sedes de concelho. Sugeri que a ASSOCIAÇÃO DO CASTELO, ou o EXECUTIVO mandassem pôr ali uma lápide com a biografia resumida de tão ilustre benemérito. Nada fizeram.

Face a todo este meu esforço de munícipe que exerce a cidadania com NOME E ROSTO, que não recorre ao anonimato, nem anda a fazer vénias a SUAS EXCELÊNCIAS, foi com agrado que li a INFORMAÇÃO dada aos munícipes no Portal da Câmara, revertendo a decisão. Ei-la, "ipsis verbis" com DIA E HORA para MEMÓRIA FUTURA: os três representantes da Associação do Castelo, o Presidente da Câmara e acólitos, precisaram de 9 (NOVE) dias, para mandarem parar as obras já iniciadas. Tanto foi o tempo que decorre do dia 13, data da minha primeira CRÓNICA, até ao dia 22, data em que SUA EXCELÊNCIA reverteu a medida e deu as informações que se seguem: 

«Município de Castro Daire

22/3 às 18:54 · 

Informação

A pedido da Associação “O Castelo”, com Sede no Bairro do Castelo nesta Vila de Castro Daire, o Sr. Presidente da Câmara, no final da tarde de hoje, recebeu três representantes da referida Associação, tendo também convidado os Srs. Vereadores com Pelouro e o Sr. Presidente da Junta de Freguesia de Castro Daire.

Depois de auscultar as opiniões dos intervenientes relativamente ao edifício Conde Ferreira, o Sr. Presidente da Câmara deu a conhecer à Associação o Estudo de Mobilidade Pedonal para o Centro Histórico / Requalificação Urbana que inclui também o Bairro do Castelo.

As representantes da Associação gostaram do que viram e ouviram do Sr. Presidente da Junta de Freguesia, titular do prédio em causa, e também do Sr. Presidente da Câmara tendo ambos referido que aquele edifício não será utilizado como Casa Mortuária ou de Velório, mas como Espaço de Apoio à Comunidade, ficando, assim, a constituir um espaço multifuncional».

Resta-me bater palmas. Mas os meus amigos e leitores (que não são parvos) já viram até onde chega o CINISMO POLÍTICO. Não façam caso. É cinismo de SACRISTA.

 

Joaquim Ferreira dos Santos - CópiaADENDA feira em 04-04-2018:

Um ano após a colocação destes meus textos no Facebook  (como se vê pela data acima)  a EQUIPA RESPONSÁVEL por me lembrar a minha atividade neste espaço, trouxe-me às «MEMÓRIAS» aquilo que escrevi e aquilo que os meus amigos escreveram a esse propósito. Entendi fazer «copy/paste» dos «GOSTOS»  e «COMENTÁRIOS», transportá-los para aqui com vista a mostrar que nem toda a «crítica cívica» e pública fica sem resposta. O cidadão ou cidadã que assume esse seu papel na sociedade não se limita a «criticar» na taverna, na esquina ou à mesa do café. Assume publicamente o que «civicamente» é. Eis, pois:   

GOSTOS:

71 Fernanda Duarte, Adérito Silveira e 69 outras pessoas

2 partilhas

15 comentários

 Nuro Carvalho Cidadania, ou se tem ou não se tem.

 Manuel Costa Santos Santos PARABÉNS DR. ABÍLIO, PELA SUA FRONTALIDADE EM DEFESA DO NOSSO PATRIMÓNIO .

 Célia Silva Casa de velório .não mas sim uma casa para o povo não ficar ao abandono.

 Manuel Carvalho O meu aplauso pelo seu esforço, que felizmente foi bem sucedido. Mais vale tarde do que nunca. E o dia 1 de Outubro também está próximo... Muito obrigado.

 Sofia Condeço Desconhecia essa situação mas concordo plenamente consigo! E fico muito satisfeita em saber que conseguiu impedir esse atentado! Obrigada por proteger a nossa história!

 Carlos Manuel Martins Cordeiro E É A FALAR QUE A GENTE SE ENTENDE

 Susana D'Almeida Obrigado por proteger o que resta do nosso património e história, que a maioria desconhece e talvez por desconhecer e/ignorar cometa erros que muitas vezes são irreversíveis.
Obrigada também a quem lhe deu ouvidos e que cedo ou tarde percebeu que se ia cometer um grande erro.
Faço-lhe uma vénia pela sua frontalidade, coragem para lutar pelos seus ideais e por se fazer ouvir, o que nem sempre é tarefa fácil.
Cumprimentos senhor professor, tenho muito orgulho em ter sido sua aluna e me ter ensinado o quanto rica e interessante é a nossa história. Obrigado mais uma vez.

 Amélia Queirós Acordo com D. Célia fazer algo pelas pessoas da terra uma Casa do Povo.

Abílio Pereira de Carvalho Sem desprimor por nenhum dos outros, não resisto a sublinhar as palavras do meu filho Nuro, que lá pelas bandas de Oeiras, também ele envolvido nas CAUSAS PÚBLICAS, está atento às atitudes do pai, e à Susana Pinto pelo orgulho que REVELA de ter sido minha aluna e o dizer com a frontalidade que me atribui. Sim, orgulho-me de ter sido PROFESSOR DE HISTÓRIA e ser o PIONEIRO NA INVESTIGAÇÃO E DIVULGAÇÃO DA HISTÓRIA LOCAL, coisa se somenos no ELEVADO CRITÉRIO dos nossos autarcas.

 Lina Maria Zagalo Neves Amigo Abílio continuo com a ideia que nos conhecemos em terras distantes, la para o lado do Indico. Peco desculpa por não o tratar por Professor, como o deveria fazer ... mas talvez seja por causa das "Picadas de Tete", e porque o respeito por ser um HUMANO excepcional. Gostaria de perguntar aos Castrenses, se so depois da porta fechada e que querem entrar ;-). Como gostaria que a minha sobrinha Mariana tivesse sido sua aluna. Com o temperamento de lutar pelo que crê justo, se tivesse tido a sorte de ter um Senhor como o Amigo na sua vida, nem quero pensar nos resultados a serem obtidos nas Caldas da Rainha. Admiro-o por tudo o que o Senhor representa desde a sua juventude. Bjs de uma tetense agradecida.

 Abílio Pereira de Carvalho Sim amiga minha, DONA MARIA ZAGALO NEVES, que tendo residido ambos em Tete, foi nas PICADAS DE TETE que viemos à fala. Tirando o seu pai que, como eu trabalhámos no CINEMA SANTIAGO, ele como técnico de máquinas, eu como projecionista, nós não nos lembrámos um do outro. Mas isso não obsta à admiração e respeito pelos nossos CAMINHOS ANDADOS. Aprecio a sua gentileza e a sua inteligência. Consegue ver muito bem "quem vai na carruagem, só a ver o seu movimento". Bem haja e um grande abraço para si e para todos os TETENSES que acompanham as minhas investigações e produtos delas.

 Lina Maria Zagalo Neves Bj

 Lino Pardal Ao meu amigo e professor de à muito, deixo o meu o agradecimento CASTRENSE. A palavra escrita por ti, tem mais força que uma arma de fogo. Mas reconhecer o erro é uma boa virtude.

 Abílio Pereira de CarvalhoQuando este meu amigo e ex-aluno, Lino Pardal, fez o seu comentário, logo pensei fazer-lhe uma surpresa. Ambos de Castro Daire tomámos conhecimento em Lourenço Marques, num dos estabelecimentos de ensino mais credenciado de toda a cidade. Ele foi meu aluno e como prova aqui deixo a sua ficha da CADERNETA e respetivas notas de avaliação. Porque será que as pessoas INTELIGENTES e laboriosas mantém amizades de longa data, ao contrários, quantas vezes, do que acontece com os imbecis e medíocres que nos rodeiam? Foi só dar tempo de ir ao sótão, folhear a CADERNETA e colocar aqui o seu NOME E ROSTO. Bem haja Lino, por não esqueceres o velho amigo e professor.

 Lino Pardal Obrigado Abílio, todos gostamos de um elogio sincero, para nós um abraço diz tudo.

 Lino Pardal Caro amigo Professor: Desde que me ensinaste a gostar e interpretar os Lusíadas,( em especial a Ilha dos Amores) nada me surpreende, nem mesmo as notas do tipo das barbas e casaco aos quadrados. Obrigado Professor por continuares a surpreender-me e a ensinares sempre mais uma coisa. «De quem o coração gosta fica eterno» abraço. 

 Antonio Salazar Oliveira foi nesta escola que o meu Pai estudou, este prédio já foi sede da junta de Freguesia, da qual o meu Pai era Presidente. Parabens amigo Abilio , que não se repita a besteira que fizeram com a minha escola.....

 Antonio Silva A sua luta com o apoio do grupo o Castelo venceu. Obrigado gentes da minha terra,um abraço amigo Abílio

 António Ferreira O seu a seu dono. Lá diz o ditado: "a César o que é de César e a Deus o que é de Deus". Obrigado Dr. Abílio pelo que faz pelo Concelho de Castro Daire.

 José António Neves Ah! Se Portugal tivesse mais pessoas assim...

 Mauro Coutinho meu pai vai fazer 92 anos e um dia viu o doutor ABÍLIO e virou se para mim e disse: lá vai ele de mota, homem fino, inteligente, tem cá uma visão, não há cá outro igual... claro, em seguida começei a rir... os homens antigos vêem tudo ao longe... Abraço Dr: Abílio







Ler 141 vezes
Abílio Pereira de Carvalho

Abílio Pereira de Carvalho nasceu a 10 de Junho de 1939 na freguesia de S. Joaninho (povoação de Cujó que se tornou freguesia independente em 1949), concelho de Castro Daire, distrito de Viseu. Aos 20 anos de idade embarcou para Moçambique, donde regressou em 1976. Ler mais.