Trilhos Serranos

Está em... Início Poesia JOGOS FLORAIS
domingo, 11 outubro 2015 19:23

JOGOS FLORAIS

Escrito por 



Estava eu em Milange, Moçambique, para onde tinha sido transferido de Tete por via de um processo disciplinar. Era indisciplinado e não me vergaram, como ainda hoje é patente no que digo e faço. Os militares de Vila Junqueiro, terras de chá, tal qual Milange, resolveram fazer uns Jogos Florais, aos quais podiam concorrer também civis residentes na Zambézia. 

milange-redzCom a imagem dos pobres que, de canudo a tiracolo, corriam as aldeias de Castro Daire na minha meninice, a pedir esmola (vejam a quantos quilómetros de distância!) juntei um molho de versos com o título "O MENDIGO e concorri. Ganhei uma MENÇÃO HONROSA e dei por ela agora com a tinta do carimbo e a assinatura do presidente do júri quase apagadas. Era um militar graduado, mas cuja patente ignoro. Eis essa "obra-prima" e respectiva compensação.

O MENDIGO


Procurando algo que não tem
Lá se vai o mendigo rua fora
Ninguém sabe d'onde é que ele vem.
Ninguém sabe onde é que ele mora.

Passando por este ele pede esmola
Passando por aquele pede também
Àquele outro abre a rota sacola
Mais a dez, vinte, cinquenta, cem.

Fogem dele as crianças em corrida
Porque as mães p'ra sopa verem comida:
- Olha o pobre! - lhes dizem, em meninos.

Pelo pó dos seus lázaros caminhos
E palheiros que ele tem por guarida
Vai ele arrastando a miserável vida!

Abílio/Milange/1965

Ler 168 vezes
Mais nesta categoria: « CAVAQUISTÃO CAMÕES »
Abílio Pereira de Carvalho

Abílio Pereira de Carvalho nasceu a 10 de Junho de 1939 na freguesia de S. Joaninho (povoação de Cujó que se tornou freguesia independente em 1949), concelho de Castro Daire, distrito de Viseu. Aos 20 anos de idade embarcou para Moçambique, donde regressou em 1976. Ler mais.