Trilhos Serranos

Está em... Início Poesia LAREIRA
sexta, 17 abril 2015 17:52

LAREIRA

Escrito por 

LAREIRA

Se perco da meada o fio acendo a lareira e afujento o frio.


Se perco da meada o fio 

Acendo a lareira

Afugento o frio
E sem maneira

Devaneio

A olhar as labaredas

Fugidias, ledas

Sem forma 

Nem cor definidas.

Poesia quente

Sem norma

Cheia de pecados

Que não diz

Mas que sente

Nestas lidas

Os caminhos andados.

 

Abílio/2014

Ler 259 vezes
Mais nesta categoria: « O BEIJO MORTE »
Abílio Pereira de Carvalho

Abílio Pereira de Carvalho nasceu a 10 de Junho de 1939 na freguesia de S. Joaninho (povoação de Cujó que se tornou freguesia independente em 1949), concelho de Castro Daire, distrito de Viseu. Aos 20 anos de idade embarcou para Moçambique, donde regressou em 1976. Ler mais.