Trilhos Serranos

Está em... Início Memórias GOVERNO PATRIÓTICO DE ESQUERDA
sábado, 10 outubro 2015 14:50

GOVERNO PATRIÓTICO DE ESQUERDA

Escrito por 


No dia 07 do corrente, isto é, três dias após as eleições, deixei nesta minha página um texto sob o título "DIREITA/ESQUERDA" no qual preconizei o que a seguir transcrevo:

"Face aos resultados eleitorais, e à consequente configuração da Assembleia da República, António Costa bem pode assumir, à frente das hostes civis parlamentares (da ESQUERDA) o papel que Otelo Saraiva de Carvalho assumiu à frente das hostes militares, abatendo a Ditadura, toda ela cheia de regras e formalismos que, a serem seguidos pelos capitães, ainda hoje perduraria. Mas virou-se a página e, passados todos estes anos é altura de romper com o "status quo" do "vira-ó-disco e toca o mesmo". E depois, o que for se verá. Urge mudança. Urge alternativa. E é em alturas difíceis como esta que se mostra a capacidade de liderança".

Sim. Foi isso mesmo que eu escrevi. Um disparate, mas nunca pensei vir a "plagiar-me" poucos dias depois. Hoje mesmo. É que não resisto à tentação de cotejar esse meu pensamento com a notícia publicada no "SOL" online, publicada ontem (dia 11), às 16.12 horas. Transcrevo:

"O histórico socialista António Arnaut apelou hoje à formação de um governo 'patriótico de esquerda" liderado pelo PS, integrando também o PCP e o Bloco de Esquerda para 'defender os interesses' dos portugueses".

Conforta-me saber que, face aos resultados eleitorais e visto o estado em que se encontra o ESTADO, o meu pensamento coincide com o deste histórico socialista, homem que sempre tive como referência. Apraz-me isso e também saber que o texto que aqui deixei ontem com o título "GOVERNANÇA À ESQUERDA" encontra respaldo no mesmo pensamento. Transcrevo:

"E eu fico-me por aqui, não por falta de corda, mas à espera de ver o resultado dos esforços de António Costa, de Jerónimo de Sousa e da Catarina Martins (os três ribeiros que juntos fazem rio) esperançado de que, mesmo contra tempos e marés, ponham o moinho em movimento e, com ele, ponham pão na mesa de todos os portugueses".

Ler 203 vezes
Abílio Pereira de Carvalho

Abílio Pereira de Carvalho nasceu a 10 de Junho de 1939 na freguesia de S. Joaninho (povoação de Cujó que se tornou freguesia independente em 1949), concelho de Castro Daire, distrito de Viseu. Aos 20 anos de idade embarcou para Moçambique, donde regressou em 1976. Ler mais.