Trilhos Serranos

Está em... Início Crónicas SIM SENHOR
sexta, 04 agosto 2017 13:05

SIM SENHOR

Escrito por 

Abílio Pereira de Carvalho 4 de Agosto de 2015 


O "SIM,SIM,SIM" DO SANTO HILÁRIO

Posso dizer que fui amigo do senhor Manuel Araújo e Gama (falecido há poucos anos) que se aposentou como Chefe da Repartição de Finanças de Castro Daire, depois de ter feito um longo tirocínio pelo país, incluindo a vila se Serpa, no Alentejo. E do Alentejo falámos ambos muitas e muitas vezes. Os dois tínhamos gostado daquelas terras e das suas gentes.
Aquando do 25 de Abril, magoado por ver o seu nome numa lista que o MFA afixou em lugar público, identificando os funcionários que deviam ser SANEADOS, resolveu enfrentar o Capitão Fernandes, o oficial mais graduado que comandava o destacamento militar, mandado para Castro Daire, destinado a POLITIZAR as gentes do concelho.

E não foram poucas as pessoas que me disseram (e ele me confirmou) que chegaram a estar lado a lado no balcão do Café Avenida a mandarem picardias um ao outro sobre o momento político que se vivia. E o Senhor Gama, com a banda do casado puxada para trás, a mostrar o revolver, à cinta, tal qual os cowboys no farwest americano. 
Tendo eu vivido esse período em Moçambique, interessado em saber pormenores de como as coisas se passaram em Castro Daire (algumas delas já as escrevi no meu livro "Castro Daire, os Nossos Bombeiros, a Nossa Música", editado pela Câmara Municipal em 2005) muitos foram os episódios que me contaram as pessoas com quem conversei, entre as quais ele próprio, um dos protagonistas a relembrar quando se historiar, pormenorizadamente, esse período da HISTÓRIA LOCAL.  
Ligado à fundação do PPD, fotografado ao lado de Sá Carneiro, desligou-se do partido quando os JOTAS tomaram conta do aparelho e lhe exigiram a sua re-inscrição. 


Veio, mais tarde, a integrar as listas do PARTIDO SOCIALISTA para a Assembleia Municipal, da qual era presidente, eleito nas listas do PSD, o Dr. João Duarte de Oliveira, o ex-presidente da Câmara, deposto no 25 de Abril.
Eu assisti a algumas dessas sessões e vi a "faísca" que chispava entre os dois ao debaterem-se determinados assuntos. 
A maioria dos eleitos, então como hoje, tomam assento, nas Assembleias Municipais ou na Assembleia da República, somente para dizer SIM aos directórios partidários. Coisa que o senhor Gama não fazia. Agia segundo o seu pensamento e, dizia-me, nas cavaqueiras do café que aprendeu a detestar o GESTO afirmativo feito com a cabeça, desde que descobriu a artimanha engendrada pelo pároco e pelo sacristão de uma igreja minhota. Ele era oriundo de terras de Viana do Castelo. 
E o caso era que a cabeça da imagem do Santo Hilário estava ligada a um cordel que descia escondido até ao alcance de mão do sacristão. E, durante a homilia ou de um sermão, sempre que o pároco perguntava ao Santo se era VERDADE o que ele dizia, o sacristão puxava o cordel e o Santo respondia afirmativamente com a cabeça: "sim,sim, sim!
- Ora, eu não sou desses. Eu não sou o Santo Hilário.

 

NOTA: publicado no Facebook no dia 4 de agosto de 2015




Ler 90 vezes
Abílio Pereira de Carvalho

Abílio Pereira de Carvalho nasceu a 10 de Junho de 1939 na freguesia de S. Joaninho (povoação de Cujó que se tornou freguesia independente em 1949), concelho de Castro Daire, distrito de Viseu. Aos 20 anos de idade embarcou para Moçambique, donde regressou em 1976. Ler mais.