Trilhos Serranos

Está em... Início Poesia AI AMIGO (3)
quarta, 30 março 2016 13:30

AI AMIGO (3)

Escrito por 

Ai amigo

Tenho andado perdido

Na poesia medieval,

Nas cantigas de amigo

De escárnio e maldizer.

E insisto em escrever

Que foi a religião

Que me transportou

P'ra tempo tão remoto,

Amigo.

Não me cai no goto

Dizer-te, mas então não é 

Que tendo sido eu professor

Nas escolas,

A meter história

Antiga, moderna, medieval

Clero, nobreza e povo

Nas sacolas

Dos alunos, anos seguidos

A distinguir ciência e fé,

Delas, das escolas,

Ó bendita glória,

Fazem agora

Igrejas sem sino, nem sacristia

E em nome da autonomia

Sem tino, ali rezam missas

Sem senões, nem chiças,

Como se isso fosse normal?



Ao que vejo

P'ra ter sucesso na carreira

Bem contra o meu desejo

Digo em linguagem lisa

A docência atualmente

Não precisa

De professores com mérito científico

Mas catequese somente,

Amigo.

Está à vista!

Basta o "amen" salvífico

Pois sucesso garantido

Tem todo o senhor sacrista

E de tal maneira

Vinga esse entendimento

Que vai grossa a lista

P'ra diretores de agrupamento!



Vês agora, amigo,

A razão

Por que digo

Que foi a religião

Que me levou ao mundo antigo, 

À poesia medieval,

A esse tempo arcaico

Afonsino, dionisíaco, vicentino?

Pois é!

Tal vai o ensino

Neste nosso estado laico

Tal vai a educação

Em Portugal

Todo cheio de fé

Ai deus e u é!


Abílio/março/2016


Ler 265 vezes
Abílio Pereira de Carvalho

Abílio Pereira de Carvalho nasceu a 10 de Junho de 1939 na freguesia de S. Joaninho (povoação de Cujó que se tornou freguesia independente em 1949), concelho de Castro Daire, distrito de Viseu. Aos 20 anos de idade embarcou para Moçambique, donde regressou em 1976. Ler mais.