Trilhos Serranos

Está em... Início Poesia A GRALHA
terça, 03 agosto 2021 02:57

A GRALHA

Escrito por 

A GRALHA (2)

Em 18 de Janeiro deste ano (2013)  prantei neste meu "estado" o texto com título "A GRALHA". Não resisto a repescá-lo novamente para aqui, por me parecer que "gralha" já não é escrever ERROBOGÁBEL em vez de IRREVOGÁVEL. Isto porque se as palavras viraram "parolas" sem sentido, construindo-se com elas argumentos e textos sem nexo, também podem perder a ortografia, com ou sem acordo ortográfico.

 

Com maléfica intenção

Disposta a pintar a manta

Avessa à comunicação

A gralha se levanta.

Ela plana, ela voa

E num sítio ou noutro, à toa,

Quando calha

A gralha,

Pérfida e má

Não perdoa

Pica e já está

Muito a seu jeito,

Errática,

A exercer a sua prática:

- Com voragem

À mesa da imprensa

Come a gramática

E mastiga a mensagem

De quem escreve e pensa.

E não se admire ninguém

Que saboreando ela o prato

Venha a alterar também

Este seu mesmo retrato.

NOTA: PUBLICADO NO MEU MURAL DO FACEBOOK EM 2013

Ler 57 vezes
Mais nesta categoria: « APAGÃO OLIMPÍADAS »
Abílio Pereira de Carvalho

Abílio Pereira de Carvalho nasceu a 10 de Junho de 1939 na freguesia de S. Joaninho (povoação de Cujó que se tornou freguesia independente em 1949), concelho de Castro Daire, distrito de Viseu. Aos 20 anos de idade embarcou para Moçambique, donde regressou em 1976. Ler mais.