Trilhos Serranos

Está em... Início História SÃO PEDRO E O GENTIO
quinta, 26 agosto 2021 16:17

SÃO PEDRO E O GENTIO

Escrito por 

IGREJA MATRIZ DE CASTRO DAIRE

Em perfeita consonância com o PAPA FRANCISCO, que é o desejo de ver uma IGREJA CRISTÃ renovada, mais “APOSTÓLICA E MENOS CLERICAL”, um iluminado escultor castrense, PROFESSOR, de seu nome completo JOSÉ LUIS LOUREIRO, congeminou e fundiu em bronze a IMAGEM de um S. PEDRO remoçado, o jovem pescador, diferente daquele S. PEDRO que os crentes se habituaram a ver nos altares e nos andores em dias de procissão, um ancião, de barbas desgrenhadas e chaves na mão.

 

S.PEDRO-1 - CópiaE, o escultor, depois desse seu atrevido gesto de CRIAÇÃO, para desconsolo de todos aqueles que tomam a IMAGEM pela PESSOA real e autêntica (os académicos diriam que tomam a “NUVEM POR JUNO”) entendeu que a ESCULTURA (fundida em bronze e não em gesso) em vez de ser posta num altar, ou num qualquer pedestal levantado em frente, ou ao lado do templo, devia ficar pespegada na parece frontal da Sacristia da Igreja Matriz, virada a nascente, num sítio bem alto, para, lá do alto, FALAR AOS GENTIOS, naturalmente com o assentimento do atual Abade Carlos José Gomes Caria, supostamente mais sabedor de anjos, santas e santos do que alguns crentes que, de terço e breviário no bolso, armam em sacristas, mas ignoram, seguramente, o «Flos sanctorum».

PEDRO-2

E, em VERDADE VOS DIGO, algum GENTIO vilão põe os olhos na escultura, interroga-se, indigna-se, protesta, discorda, não vê, não ouve, nem entende o sermão.

É isso. O soalheiro vilão vai ter assunto para salivar e silabar durante uns tempos. Cá por mim, direi que foi preciso que essa ESCULTURA ali fosse posta, para a palavra GENTIO, muito usada nos tempos bíblicos de PEDRO E PAULO, qual espelho de cristal, refletisse a IMAGEM CULTURAL DE CASTRO DAIRE, nestes princípios do SÉCULO XXI.

Uma pena!

NOTA: PUBLICADO NO MURAL DO FACEBOOK

Ler 63 vezes
Abílio Pereira de Carvalho

Abílio Pereira de Carvalho nasceu a 10 de Junho de 1939 na freguesia de S. Joaninho (povoação de Cujó que se tornou freguesia independente em 1949), concelho de Castro Daire, distrito de Viseu. Aos 20 anos de idade embarcou para Moçambique, donde regressou em 1976. Ler mais.