Trilhos Serranos

Está em... Início Crónicas CAÇA - AS LEBRES MAÇARICAS
quinta, 20 dezembro 2018 13:38

CAÇA - AS LEBRES MAÇARICAS

Escrito por 

LEBRE É SEMPRE LEBRE (2)

Num apontamento anterior com o título em epígrafe referi o episódio que me sugeriu o encontro que, nos anos 90, tive com duas lebres, ali, na serra da Nave, arredores de Carapito, Moimenta da Beira, aquelas que se me furtaram à pontaria, decidindo que eu prosseguisse a caçada sem o trabalho de as carregar à cinta ou dobradas no alforje que o meu colete tinha a toda a largura no fundo das costas.

EPANHOL - REDZDisse que ambas me saíram aos pés, no mesmo sítio, nas bordas de um lameiro rendilhadas fieitos (...) e que tinham a samarra malhada, a modos que de cão de raça epanhol, coisa que nunca tinha visto. Nem mais vi.

Nunca tinha visto, nem mais vi, mas já tinha lido o que sobre tais lebres sabia AQUILINO RIBEIRO. Depois de escrever esse apontamento, foi só estender a mão à estante e confirmar como ele as descreveu no seu livro “O HOMEM DA NAVE”, pp. 43.

É o excerto que aqui deixo juntamente com a do cão epanhol malhado com o qual as comparei. É que, tendo embora guardado as botas e arrumado os apetrechos, não esqueço que fui membro obrigatório do CLUBE DE CAÇADORES, PESCADORES E OUTROS MENTIROSOS, distinto deste que, com toda a dignidade, apresenta na sua testada a designação de CLUBE LITERÁRIO CINEGÉTICO.

MAÇARICAS - red

NOTA: PUBLICADO NO FACEBOOK NA PÁGINA «CLUBLE LITERÁRIO CINEGÉTICO»

Ler 186 vezes
Abílio Pereira de Carvalho

Abílio Pereira de Carvalho nasceu a 10 de Junho de 1939 na freguesia de S. Joaninho (povoação de Cujó que se tornou freguesia independente em 1949), concelho de Castro Daire, distrito de Viseu. Aos 20 anos de idade embarcou para Moçambique, donde regressou em 1976. Ler mais.