Trilhos Serranos

Está em... Início Crónicas GERINGONÇA
terça, 26 janeiro 2021 15:56

GERINGONÇA

Escrito por 

GERINGONÇA

Com o título em epígrafe alojei, recentemente, um vídeo no Youtube, cujo link vou colocar em rodapé deste texto. Isto porque ele mereceu alguns comentários de mérito vindos de algumas pessoas que o viram, incluindo o seu contrário, vindo de um tal João Silva Filho que pintou, preto no branco, a seguinte flor de lis: “uma palhaçada esse portuga...sem novidade nenhuma”.

Face a tão SÁBIA observação, incluindo o domínio da LÍNGUA PORTUGUESA, acrescentei o seguinte comentário de resposta:

 

Diz João Silva Filho, ser «uma palhaçada esse portuga...sem novidade nenhuma«».

Como sou uma pessoa civilizada e educada, desafio este “sábio” a mostrar um EQUIPAMENTO  IGUAL, em foto ou em vídeo. Se não fizer isso, daqui lhe digo que perdeu uma boa oportunidade de estar CALADO”.

6-motor da máquinaSei que os meus trabalhos posto nos mundo, são visto do outro lado do Atlântico. No Brasil. Dnde tenho recebido mensagens de MÉRITO e de AGRADECIMENTO, pois até aos conterrâneos emigrados levo sempre um pouco da NOSSA TERRA E DAS NOSSAS GENTES.

E dei-me a esTe trabalho de resposta, pelo facto de estar em regime de CONFINAMENTO, isto é, fechado em casa, devido à PANDEMIA.. E como aprendi, desde pequenino, lá na aldeia, a expressão “quem tem vagar faz colheres”, decidi-me a engasgar tão sapiente observador com uma “colherada” das minhas, certo de que ele, depois daquele tom altaneiro e depreciativo, não ser capaz de apresentar coisa alguma similar para respaldo da sua opinião, PAROLA.

5-bomba de águaE estou certo disso, pois a minha GERINGONÇA é, seguramente, singular, exclusiva e única. Quem é que, num qualquer canto do mundo, ia ter a ideia de associar um “motor elétrico” (fora de uso) de uma máquina de costura, a uma “bomba de água” (fora de uso) de um motor de combustão, mais uma “mó de esmeril” e através de uma correia de transmissão, engendrar um “equipamento” para afiar facas e tesouras domésticas?

Pois. Estou para ver. Mas sublinho que, como professor que fui, uma das minhas preocupações pedagógicas era espevitar a  IMAGINAÇÃO CRIATIVIDADE dos meus alunos. E aqui deixei (em vídeo e fotografia) exatamente uma prova material  dessa  IMAGINAÇÃO CRIATIVIDADE. Aproveitar peças em desuso, destinadas ao lixo e com elas “engendrar” um equipamento doméstico e útil.

4-EsmerilEm tempos de RECICLAGEM, não é coisa de somenos. E eu fi-lo, muito antes deste conceito se generalizar no entre nós, num sentido mais abrangente.

Pensei que o vídeo, feito e alojado no Youtube só agora, podia ter algo de pedagógico, e teve, como parece transparecer de outros comentários que mereceu, sem esse tom sobrancerio, tão característico da ignorância.

Mas não fora o tal “sábio” dizer o que disse, nem este texto teria sido escrito, nem as fotos da GERINGONÇA teriam sido tiradas e aqui publicadas. O que só confirma o velho ditado: “há males que vêm por bem”.

Resta-me, pois, aguardar, pacientemente sentado, que João Silva Filho, (não sei se filho de algo) lampeiro a opinar, não seja vagaroso a responder ao repto que lhe lancei. E faço votos que encontre, ao virar da esquina, o tal EQUIPAMENTO  IGUAL ao que eu “fabriquei” para uso doméstico, sem registo de PATENTE. De contrário confirmar-se-á que esse senhor «PERDEU UMA BOA OPORUNIDADE DE ESTAR CALADO».

 

Link do vídeo

https://youtu.be/5lyfgfgOLOU

Ler 99 vezes
Abílio Pereira de Carvalho

Abílio Pereira de Carvalho nasceu a 10 de Junho de 1939 na freguesia de S. Joaninho (povoação de Cujó que se tornou freguesia independente em 1949), concelho de Castro Daire, distrito de Viseu. Aos 20 anos de idade embarcou para Moçambique, donde regressou em 1976. Ler mais.