Trilhos Serranos

Está em... Início Crónicas CULTURA E FOLCLORE
terça, 27 agosto 2013 13:07

CULTURA E FOLCLORE

Escrito por 
1 - Numa altura de eleições autárquicas (neste ano de 2013), após o primeiro debate feito na Rádio Limite pelos candidatos do CDS-PP (Carlos Rodrigues) e do PSD (Luís Alberto da Costa Pinto), explanado que foi o seu conceito de CULTURA, circunscrito aos Grupo de Teatro do Montemuro, ranchos folclóricos e bandas filarmónicas, injusto seria eu para com o antigo presidente da Câmara João Matias e presidente da Assembleia Municipal, Dr. João Duarte de Oliveira, não trazer à colação as palavras por eles proferidas, em 1995, na sessão de lançamento do meu livro «Castro Daire, Indústria, Técnica e Cultura». Faço-o tão-somente para produzir um documento histórico, já que a história não se faz sem documentos e eles nos revelam o que pensam os homens e os conceitos pelos quais guiam os seus procedimentos, pessoais e políticos. 

 1-1 - JOÃO AUGUSTO MATIAS PEREIRA, presidente da Câmara Municipal de Castro Daire, na «Nota Prévia» ao livro «Castro Daire, Indústria, Técnica e Cultura»: 

«  (...) Imprescindível se torna avaliar costumes, danças, cantares, atitudes, crenças, ferramentas, utensílios e tudo o que constitui uma praxis específica.

O concelho de Castro Daire é, neste aspecto, uma fonte que jorra abundantemente para o amante da nobre tarefa de investigar. É um atractivo para aquele que, não se contentando com meras aparências, pesquisa o que, vulgarmente, pode parecer desprezível e sem valor. O que é iluminado e orientado pelo saber académico e pela experiência nestas andanças não menospreza a observação das transformações culturais e procura, com subtileza, identificar os elementos que unem ou separam o dia a dia menos recente dos tempos hodiernos. Tem sido esta a atitude desse insigne investigador da História Local - Dr. Abílio Pereira de Carvalho, também bem patente em «Castro Daire, Indústria, Técnica e Cultura».
(...)
Ao autor e a todas as pessoas que, de algum modo, contribuíram para a realização deste trabalho manifestam o concelho e a Câmara Municipal a sua gratidão».

 1. 2 – IDEM

 Capa«Castro Daire - Indústria, Técnica e Cultura» é uma obra do Dr. Abílio Pereira de Carvalho, um autor já consagrado em virtude de muito que tem dado de si, do seu tempo e da sua competência ao estudo aturado de múltiplos aspectos histórico-culturais do concelho.
Para além de inúmeros artigos em diversos órgãos da imprensa regional, o Dr. Abílio já deu à estampa diversas obras (...)
Nos últimos tempos, o autor, aproveitando a licença sabática, lançou-se a um grande empreendimento que é um autêntico inventário da indústria e da técnica que deu à nossa cultura uma identidade própria.
Caracterizado por um visualismo muito próprio do investigador, o Dr. Abílio viveu, nos últimos tempos, um nomadismo característico de quem, não se poupando a esforços, percorre montes e vales para elaborar um trabalho de índole científica e proporcionar (...) uma tradução fiel do mundo que nos rodeia. Foi desta procura incessante dos factos e do intento de conhecer «in loco» a realidade, que resultou o conhecimento do saber e do saber-fazer retratado em «Castro Daire, Indústria, Técnica e Cultura».
(...)
Pela minúcia revelada, pelo conjunto de actividades tratadas e porque cremos que constitui um valioso testemunho tanto para o presente como para as gerações vindouras, em boa hora deliberou a Câmara Municipal responsabilizar-se financeiramente por esta primeira edição.
(...) 
Aos senhores professores peço que utilizem este rico inventário do património espalhado pelo concelho para que as nossas crianças e jovens conheçam este elo de ligação entre o presente e o passado.
(...)
Agradeço-lhe esta obra em nome do concelho e fique ciente que a Câmara nada mais fez que, dentro da política cultural adoptada, apoiar uma obra de um castrense acerca do que é nosso e que é para nós».

1-3 - DR. JOÃO DUARTE DE OLIVEIRA, presidente da Assembleia Municipal de Castro Daire:

« (...)  Sou um amante da cultura, admiro aqueles que tem capacidade e valor para produzir saber. O Dr. Abílio é um construtor de arte, um fazedor de cultura, um trabalhador da inteligência, um proletário da mente. Ele tem espalhado conhecimentos, cultura e saber pelo concelho e pelo país. Muito do que nós somos ele tem dado a conhecer pelo País inteiro. É merecedor da nossa gratidão, do nosso reconhecimento e da nossa estima. Os seus livros e opúsculos são o retrato do concelho e o testemunho da sua personalidade e da sua cultura. Nós estamos aqui não só para o lançamento do seu livro, mas para lhe prestar uma homenagem. O nosso jornal «Notícias de Castro Daire» já o pôs na primeira página, que é o lugar que ele merece. E já o considerou o homem da Cultura do concelho. É a sua consagração como homem de saber, como proletário da mente. Ele é, efectivamente, como está na moda dizer-se, um proletário da mente, pois não enriquece com os seus livros. Ele investiga mais com o espírito de colaboração e solidariedade, de amor à arte e ao saber do que por razões económicas. Tem por isso a nossa consideração, o nosso respeito e a nossa amizade (...)».

 NOTA: Extractos dos discursos produzidos na cerimónia de lançamento do livro «Castro Daire, Indústria, Técnica e Cultura», que teve lugar no salão nobre municipal em 14.11.95

 1.4 OBSERVAÇÃO MINHA:

 CULTURA? Seguiram-se mais 10 (dez) livros meus sobre a nossa História, Cultura, Usos, Costumes, Tradições e Lendas. E por saber que bitola cultural pela qual se têm regido os nossos últimos autarcas é diferente da minha é que há dias escrevi um texto quase premonitório: a «bitola de valores culturais pela qual me guio não está pendurada nas paredes interiores dos Paços do Concelho». 
E pelos vistos nunca vai estar.

Abílio/Agosto/2013

 
Ler 1099 vezes
Abílio Pereira de Carvalho

Abílio Pereira de Carvalho nasceu a 10 de Junho de 1939 na freguesia de S. Joaninho (povoação de Cujó que se tornou freguesia independente em 1949), concelho de Castro Daire, distrito de Viseu. Aos 20 anos de idade embarcou para Moçambique, donde regressou em 1976. Ler mais.