Trilhos Serranos

Está em... Início Costumes e Tradições TRADIÇÕES POPULARES (1)
segunda, 17 junho 2013 09:24

TRADIÇÕES POPULARES (1)

Escrito por 

TRADIÇÕES POPULARES (1)

Quando, na década de 80 do século passado me dediquei à pesquisa e levantamento de algumas tradições populares do concelho, de Castro Daire, fi-lo envolvendo as pessoas das povoações. Umas resolveram colaborar, outras nem tanto e ainda outras, não ligaram nenhuma. Para quê «publicar «essas coisas?».

Não pensou assim o senhor Celso Almeida Rocha, de Vila Boa (Mões) que me fez chegar texto manuscrito que transcrevo a seguir e ilustro com as primeiras e últimas linhas dele. Assim, tal qual:

 

 OS CABAÇOS - VILA BOA


«Tradição em grande parte das aldeias do nosso concelho, Vila Boa tem também uma participação muito antiga na quadra carnavalesca, principalmente na chamada «BUZINADELA DOS CABAÇOS» Com início na quinta-feira das comadres, seguem-se no domingo magro, quinta feira dos compadres, domingo gordo e finalmente terceira feira do Carnaval.


«Os Cabaços» são buzinadelas feitas à noite, pela «rapaziada»  que se junta no local combinado e de seguida se distribui em dois grupos nos sítios do costume que normalmente se situam em lugares altos da aldeia para assim se fazerem ouvir melhor.

Depois de todos estarem nos seus postos, são dadas as boas noites e logo de seguida um dos grupos chama pelo companheiro do outro lado através do «cabaço» (convertido em funil)  dizendo: «ó companheiro,  vamos fazer um casamento»?

Do outro lado respondem dizendo: «vamos lá».

E assim começa o diálogo entre os dois grupos. Nomeiam então o nome da rapariga e do rapaz e dão o dote respectivo, através do qual se fazem as mais variadas críticas. O objectivo é o escárnio que se pode  fazer das raparigas e rapazes que, noutras circunstâncias, não poderia ser feito. E assim aproveitando a velha frase «é Carnaval, ninguém leva a mal», se vai criticando e dizendo algumas verdades, tirando partido da situação.

Por último, no dia do Carnaval, terça-feira, os casamentos são feitos, tendo em conta os «namoricos» existentes na aldeia. Fica-se por vezes a saber de algum que, por acaso, ainda não seja do conhecimento de todos e assim a curiosidade ganha expectativa  na revelação de novos namoricos.


Celso Almeida Rocha»

Ler 325 vezes
Mais nesta categoria: TRADIÇÕES POPULARES (2) »
Abílio Pereira de Carvalho

Abílio Pereira de Carvalho nasceu a 10 de Junho de 1939 na freguesia de S. Joaninho (povoação de Cujó que se tornou freguesia independente em 1949), concelho de Castro Daire, distrito de Viseu. Aos 20 anos de idade embarcou para Moçambique, donde regressou em 1976. Ler mais.