Trilhos Serranos

Está em... Início Poesia PÚTEGAS
segunda, 04 junho 2018 20:22

PÚTEGAS

Escrito por 
FRUTOS DA TERRA


Rubras saem da terraMADURAS

Depois tornam-se amarelas.

São fruto da natureza

Logo depois da primavera.

E bem me lembro como era

Sempre cremosas e belas

Comidas sem ser na mesa.


No seu corpo, os cabacinhos

Barrigudos de creme cheios

Com ele fazíamos queijinhos

Ou chupávamos inteirinhos,

Tal qual se chupam seios.


CABAÇOSSó se dão com o calor

Nas planuras frias da serra

Agasalhadas pelo sargaço.

E, aninhadas no seu regaço

Eu bem me lembro como era,

Ficavam prenhas  por amor

Ou seja lá pelo que for

Inchadas pariam alvo melaço.

Hoje, quantos anos já lá vão?

Passeando-me pela serra

Vêm-me à recordação

E procuro-as a cada passo.




Abílio/junho2018



Ler 63 vezes
Abílio Pereira de Carvalho

Abílio Pereira de Carvalho nasceu a 10 de Junho de 1939 na freguesia de S. Joaninho (povoação de Cujó que se tornou freguesia independente em 1949), concelho de Castro Daire, distrito de Viseu. Aos 20 anos de idade embarcou para Moçambique, donde regressou em 1976. Ler mais.