Trilhos Serranos

Está em... Início Crónicas PEGADAS NO TEMPO E NO ESPAÇO – O ENSINO EM CASTRO DAIRE (2)
sexta, 03 julho 2020 15:01

PEGADAS NO TEMPO E NO ESPAÇO – O ENSINO EM CASTRO DAIRE (2)

Escrito por 

EDUCAÇÃO EM CASTRO DAIRE

 Pelos nossos olhos perpassam os nomes os professores e dos alunos, grau de estudo e de classificações, que ilustram bem esses tempos idos no que respeita à matéria em apreço. E, nestes tempos que vivemos, especializados em manejar os polegares sobre o ecrã dos telemóveis, não faltará quem encontre aqui a identificação dos seus avós e avós dos seus avós. Talvez gostem de saber..

 

 ANO DE 1917

Castro Daire – Ensino

«Echos do Paiva» nº 100 de 1 de Julho de 1917:

Pela Instrução

Foram nomeados professores para as escolas do sexo masculino de Vila Boa, Umberto Rodrigues e para a dos Casais de D. Inês o senhor José Marques de Oliveira.

A comissão Executiva da Câmara Municipal resolveu, na sua última sessão, mandar abrir concurso para as escolas do sexo masculino de Mões e Pepim»

(NOTA MINHA: Ver «O Castrense» nº 142 de 1 de Agosto de 1917, pp 3 e o ficheiro «Moura Morta- escola)

«O Castresne,  nº 144 de 20 de Agosto de 1917:

Este número publica os resultados dos «exames do 1º grau efectuasos no concelho que reverto para a seguinte grelha:

(Nota MINHA: Não há referência à escola de Mouramorta)

«O Castrense» nº 142 de 1 de Agosto de 1917 refere-se assim aos exames do 1º grau efetuados na vila de Castro Daire:

«Alunas propostas pela professora da escola feminina desta vila D. Maria do Sacramento de Almeida.

Armanda de Oliveira Baptista – óptima

Beatriz Augusta R. Martins – óptima

Carolina Lourenço Vitelo – óptima

Cacilda de Araújo Roque – Bom

Judite Augusto Soares Seixas – Bom

Alunos propostos pela professora da escola masculina, D. Ema de Jesus Pereira Amador 

Hermano Augusto Soares Seixas - óptimo

Francisco Augusto Pereira – óptimo

Amadeu Duarte Pinto – óptimo

José Pereira da Cunha – óptimo

Albano Augusto Rodrigues Martins – bom

Júlio Monteiro – bom

Miguel Pereira dos S. Gavião – bom

João Crisóstomo da S. Júnior – bom

Arnaldo Fernandes Pinto – suficiente

Ensino Particular

Esaltina Augusta Guedes – bom

Julieta – suficiente

Carlos Mendonça – óptimo

António de Oliveira Baptista – bom

Manuel Domingos Cerdeira - bom

O Castrense», nº 144 de 20 de Agosto de 1917, reporta-se aos exames do concelho do 1º e do 2º graus, com a identificação de todos os alunos, nomes que eu aqui não ponho, mas poderei fazê-lo, quando necessário. Assim:

1º grau:

Vila Seca – masculina – 8 alunos

                      - Feminina – 4 alunas

Cetos – mista – 3 alunos e 2 alunas

Reriz – masculina – 4 alunos

            - Feminina  - 4 alunas

Ester – masculina -  4 alunos

           -  Feminina -  5 alunas

Moura Morta – 2  alunos: Fernando da Fonseca Saraiva (óptimo) e Evaristo Duarte (suficiente)

Mamouros – masculina – 3 alunos

Cabril – masculina – 3 alunos

Alva – masculina – 3 alunos: Acácio Correia Chaves, António Lourenço e Zacarias Lourenço

Gosende – masculina – 4 alunos

Mezio – masculina – 2 alunos

Campo Benfeito – masculina – 2 alunos

Coura – feminina – 1 aluno – Águeda Gomes

Lamas – masculina 3 alunos

Moledo – masculina – 6  alunos

EXAMES DO 2º GRAU

O júri dos exames do 2º grau  que funcionou nesta vila nos das 6, 7 e 8 era assim constituído: Manuel da Maia Romão, inspector escolar de S. Pedro do Sul; D. Ema Pereira Amador, professora oficial da escola masculina desta vila (vogal); Bernardino Morgado, professor oficial de Vila Seca- Pinheiro (vogal).

O resultado foi o seguinte:

Adelaide Ferreira de Oliveira – distinta

Celeste Augusta Seixas – distinta

Horácio Fernandes – distinto

José da Costa Almeida – aprovado

António Cerdeira Guerra – distinto

Carlos de Sousa F. Martins – aprovado

Júlio Alexandre Pinto – aprovado

Manuel da Costa Azevedo Portugal Mourão – distinto

Virgílio Barreiras – aprovado

Maria dos Anjos C. Morais – distinta

Hermengarda Almeida Matos – distinta

Jorge Soares – distinto

Maria Carolina de A. Vilela – aprovada

Beatriz da Costa Carneiro -  aprovada

José Duarte Pinto – aprovado

Julião Rodrigues de S. Coelho – aprovado

Aníbal dos Santos – aprovado

Artur de Almeida Carneiro – aprovado

Artur Carneiro – distinto

Resumindo: em exame do 1º grau obtiveram a nota de ótimo 40 crianças; de bom 32 e de suficiente, 13, ou seja um total de 85 aprovações.

Em exame de 2º grau ficaram distintos 10 e simplesmente aprovados, 8. Total 18.

Em face da lista publicada pelo último número do nosso jornal e das que hoje inserimos referentes aos exames do 1º e 2º grau efetuados neste concelho se vê que os senhores professores redobram de atividade de ano para ano no cumprimento dos seus deveres profissionais.

O grande número de alunos apresentado a exame e as elevadas classificações obtidas pela maioria são a prova segura dos grandes esforços empregados em prol do ensino  das criancinhas que lhes foram confiadas. Os nossos parabéns.

Alguém que assistiu aos exames do 2º grau informa-nos de que notara uma grande deficiência no ensino da educação cívica, visto que os examinados, na sua grande maioria, não respondiam às perguntas simples e claríssimas que os examinadores lhes formulavam a respeito daquela parte do programa. Estranhamos o facto tanto mais que o ensino da educação cívica nas escolas primárias, além de fazer parte do programa, tem sido recomendado aos senhores professores pelas estações competentes. Bom será que para o ano este ensino seja mais completo» O Castrense», nº 144 de 20 de Agosto de 1917,

(nota minha: Mas a lista estava incompleta e «O Castrense», 145 de 1 de Setembro de 1917, conclui dizendo:)

«Exames de I. Primária

Na relação que publicamos no último número faltou incluir os nomes dos alunos das seguintes escolas:

Folgosa – mista – Maria das Dores do Sul Pereira – bom

S. Joaninho – masculina – Artur Duarte Pereira Pinto – optimo

António Pereira Mendes – bom

João Pinto – bom

Joaquim Pereira dos Santos - suf.

Manuel Ramos – suf.

Castro Daire – Ensino

«Echos do Paiva» nº 100 de 1 de Julho de 1917:

Pela Instrução

Foram nomeados professores para as escolas do sexo masculino de Vila Boa, Umberto Rodrigues e para a dos Casais de D. Inês o senhor José Marques de Oliveira.

A comissão Executiva da Câmara Municipal resolveu, na sua última sessão, mandar abrir concurso para as escolas do sexo masculino de Mões e Pepim»

Ver «O Castrense» nº 142 de 1 de Agosto de 1917, pp 3 e o ficheiro «Mouramorta- escola,

«Echos do Paiva», nº 105 de 3 de Agosto de 1917.

«INSTRUÇÃO PRIMÁRIA»

1º Grau

 Escola mista de Folgosa:

Maria das Dores do Sul Pereira – Bom

Escola masculina de S. Joaninho

Artur D. Pedreira Pinto – óptimo

António Pereira Mendes – bom

João Paulo – óptimo

Joaquim P. dos Santos  - suficiente

Manuel Ramos – suficiente

Escola masculina de Vila Seca

João Augusto Marques Almeida – óptimo

Joaquim de Almeida Trindade – óptimo

José Rocha – óptimo

Alberto de Freitas – bom

Herculano Ribeiro – bom

João Augusto Fernandes – bom

João Cerveira Pinto – bom

Escola feminina de Vila Seca

Cacilda de Freitas – óptima

Felismina Gomes – óptima

Maria Margarida de Freitas Fernandes – óptima

Maria do Céu Costa – bom

Escola Masculina de Cetos

Adriano Cândido – óptimo

Augusto Marques – bom

José Augusto Costa – suficiente

Escola feminina de Cetos

Beatriz da Costa Carneiro – óptima

Maria da C. Costa – suficiente

Escola masculina de Ester

João Pereira Correia – óptimo

Olindo de Araújo Vilela – óptimo

Sérgio de Almeida e Silva – bom

Fernando Augusto de Almeida Matos – suficiente

Escola feminina de Ester

Maria Cândida de Paiva – óptima

Maria Emília de Almeida Matos – óptima

Maria Pereira Marques – óptima

Idalina Emília da Silva – bom

Virgínia Pereira - bom

Escola Masculina de Reriz

António de almeida Porto – óptimo

Custódio R. Duarte – óptimo

Constantino de Paiva – bom

Lucas de Paiva - bom

Escola Feminina de Reriz

Luísa Rito Pinto Aragão – óptima

Maria de Almeida Porto – bom

 Maria do Céu F. Morgado – bom

Maria Emília R. Noronha – bom

Continua no «Echos do Paiva» nº 106 a mesma informação. Assim

INSTRUÇÃO PRIMÁRIA

1º grau

Escola masculina de Mouramorta

Fernando da Fonseca Saraiva – óptimo

Evaristo Duarte – suficiente

Escola masculina de Mamouros

António Augusto da Silveira de Lacerda Pinto – óptimo

Joaquim Rodrigues – Bom

José Rodrigues – suficiente

Escola Masculina de Cabril

Manuel Rodrigues – bom

Horácio Pinto Jorge – bom

José Augusto Jorge – suficiente

Escola Masculina de Alva

Acácio correia Chaves – bom

António Lourenço – suficiente

Zacarias Lourenço – suficiente

Escola masculina de Gosende

Adão Rodrigues de Arcas – óptimo

António R. da Costa – óptimo

José R. dos Santos – óptimo

Joaquim da Costa Dias – bom

Escola masculina do Mesio

Albino R. da Costa e Silva – suficiente

António Marques – suficiente

Escola Masculina de Campo Benfeito

Domingos da Costa – bom

José Cardoso – bom

Escola Feminina de Coura

Águeda Gomes – bom

 Escola masculina de Pendilhe

David Pereira – óptimo

Joaquim Mendes – bom

Joaquim dos Santos – bom

Escola masculina de Lamas

Agostinho da Silva – óptimo

Gabriel Ferreira – óptimo

Dimas Simões – bom

Escola masculina de Moledo

 Aristides Ferreira – óptimo

João de Chaves Cândido – óptimo

Escola masculina de Covelo

Houve 4 aprovações sendo dois bons e 2 suficientes, cujos nomes ignoramos.

Exames de 2º Grau

Realizaram-se nesta vila nos dias 6, 7 e 8 do corrente os exames do 2º grau, obtendo os alunos as seguintes classificações:

Adelaide Ferreira de Oliveira – distinta

Celeste Augusta Seixas – distinta

Horácio Fernandes – distinto

José da Costa Almeida – aprovado

António Cerdeira Guerra – distinto

Carlos de Sousa F. Martins – aprovado

Júlio Alexandre Pinto – aprovado

Manuel da Costa Azevedo Portugal Mourão – distinto

Virgílio Barreiras – aprovado

Maria dos Anjos C. Morais – distinta

Hermengarda de Almeida Matos – distinta

Jorge Soares – distinto

Maria Carolina de A. Vilela – aprovada

Beatriz da Costa Carneiro – aprovada

José Duarte Pinto – aprovado

Julião Rodrigues da S. Coelho – aprovado

Aníbal dos santos – aprovado

Artur de Almeida Carneiro – distinto

Aos talentosos alunos, famílias e professores as nossas felicitações». «Echos do Paiva», nº 105 de 3 de Agosto de 1917

Ler 201 vezes
Abílio Pereira de Carvalho

Abílio Pereira de Carvalho nasceu a 10 de Junho de 1939 na freguesia de S. Joaninho (povoação de Cujó que se tornou freguesia independente em 1949), concelho de Castro Daire, distrito de Viseu. Aos 20 anos de idade embarcou para Moçambique, donde regressou em 1976. Ler mais.